Maternidade: estabeleça um vínculo com seu filho por meio da leitura

Mother with daughter (6-11 months) reading book

Um simples livro de histórias pode fazer toda a diferença na convivência dos pais com o bebê, criando um ritual prazeroso e uma troca de energia entre crianças e adultos, o que mais tarde pode acabar influenciando o gosto dos pequenos pela literatura, abrindo novos horizontes e tornando sua imaginação ainda mais fértil.

Ler uma história para o bebê, mesmo quando ele ainda não compreende o significado das palavras, é importante para ajudá-lo a desenvolver sua percepção do mundo. Mesmo quando ainda está na barriga da mãe, escutá-la lendo em um ritmo tranquilo e melodioso será sempre um prazer para o feto, que, a partir da 20ª semana de gestação, já pode ouvir. E, com o tempo, passa a reconhecer as vozes dos pais.

Desenvolver a linguagem é um processo que começa muito antes de o bebê ter ideia do que é um livro. Nos primeiros 12 meses, a criança se torna capaz de identificar as emoções e os sentimentos das pessoas que a cercam, seja pelas expressões faciais, seja pelas alterações na voz. Nessa fase, cantar e ler histórias para o seu filho é um estímulo para os sentidos dele.

Gestação e primeiros meses

É durante a gestação que os primeiros laços entre o bebê, a família e o ambiente que o cerca passam a ser formados. Antes de nascer, o feto já é capaz de perceber diferentes emoções nas palavras.

Após o nascimento, as palavras também serão uma fonte importante de estímulo para o desenvolvimento mental e emocional dos bebês. Tornar a leitura um hábito é importante, mesmo que, inicialmente, você não precise se preocupar com o conteúdo dos livros, podendo até mesmo ler revistas e jornais para o seu filho. O mais importante nesse momento é o tom de voz empregado.

Leitura na infância

Dos 4 meses aos 2 anos de idade, os bebês passam pelo chamado estágio visual, no qual figuras e formas começam a chamar sua atenção. Nessa fase, a leitura pode ser acompanhada de estímulos visuais, como as ilustrações dos livros infantis. Livros próprios para crianças pequenas, fabricados em materiais como tecido ou plástico, também são ótimos aliados, pois nessa idade os bebês sentem uma grande necessidade de conhecer e explorar o mundo e os objetos ao seu redor ? e eles fazem isso tocando e colocando tudo o que encontram na boca.

Dos 2 aos 4 anos de idade, quando a fala é desenvolvida, as imagens passam a ser relacionadas às palavras e aos sons. Letras e números também começam a ser reconhecidos. A partir dos 5 anos, as crianças começam a passar pelo estágio fonológico, associando sons às letras e começando a identificar sílabas. Mas é a partir dos 7 anos que a maioria das crianças começa a ser, de fato, alfabetizada, memorizando e reconhecendo palavras e frases completas.

Durante todo esse processo, o incentivo da família é fundamental. Além de ser fonte de aprendizado e descobertas, a leitura deve despertar o interesse das crianças, tornando os livros e as histórias sinônimos de momentos prazerosos. Dessa forma, as chances de que seu filho se torne um leitor assíduo na adolescência e na idade adulta são muito maiores, proporcionando saberes e conhecimento para toda a vida.

Agência Conversion

 

Fonte: Jornal Correio da Cidade