Hollywood encontra a imprensa de Gutenberg

Não seria legal se você pudesse vender seus PDFs como e-books e encerrar o dia? Antes da revolução do dia 5 de dezembro no Brasil, isso era uma opção viável. As livrarias Saraiva e Cultura vendiam seus PDFs do jeito que estavam. Isso tornava a vida simples para o editor, mas não era bem a melhor experiência para o leitor. Hoje, Apple, Amazon e Kobo exigem que editores submetam seus e-books no formato ePub – que automaticamente adapta o layout do conteúdo ao formato da tela, permite que o usuário escolha a fonte e tamanho, e permite links funcionais. É fantástico para obras de ficção e não ficção básicos (autoajuda, jurídicos etc.). Leia mais no Publish News.