Eventos literários do RS: confira o que está por vir em 2017

Nobel de Literatura em 1986, o nigeriano Wole Soyinka participa da Feira do Livro de Porto Alegre

feira

A Feira do Livro de Porto Alegre divulgou esta semana seu primeiro convidado confirmado deste ano. E é um Nobel de Literatura. O escritor nigeriano Wole Soyinka receberá os leitores na Praça da Alfândega em novembro. A vinda à Capital do primeiro Nobel africano é uma prova de que a sinergia dos eventos culturais pode ajudar a driblar a retração econômica – a viagem foi viabilizada por meio de uma parceria entre a 63ª Feira do Livro e a 11ª Bienal do Mercosul, programada para 2018. Outros três eventos literários já confirmaram datas para 2017. A Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo retornará em outubro, depois de um hiato; a FestiPoa Literária ocupará livrarias, bares e outros espaços da Capital em maio; e a Feira do Livro de Canoas está confirmada para junho.

 

Feira do Livro de Porto Alegre
Depois de Camilo José Cela, Mario Vargas Llosa, J. M. Coetzee e José Saramago, mais um Nobel de Literatura passará pela Capital. O nigeriano Wole Soyinka, 82 anos, tem uma conferência marcada para o dia 4 de novembro. A vinda do escritor foi viabilizada por uma parceria com a 11ª Bienal do Mercosul – que será realizada em 2018, com a integração cultural entre África, Américas e Europa como eixo temático. Primeiro africano a vencer o Nobel, em 1986, Soyinka é de origem iorubá e também ficou conhecido por sua atuação política na Nigéria. O autor foi preso no final dos anos 1960 por tentar mediar a guerra civil que abalou o país por quase três anos.
ACâmara Rio-Grandense do Livro (CRL), organizadora da Feira, divulgou que o tema desta edição será a literatura fantástica. O evento ocupará a Praça da Alfândega entre 1º e 19 de novembro, sendo dois dias mais longo que o habitual. Tradicionalmente, a Feira começava na última sexta-feira de outubro, mas a CRL quebrará o protocolo por motivos comerciais.
– Neste ano, a última sexta-feira de outubro será no dia 27. Fica muito longe do dia 5, que é quando a maior parte da população recebe seu salário. Já fizemos feiras assim e tivemos resultados ruins, então os próprios expositores nos pediram para adiar um pouco o início. Por isso, começaremos a feira neste ano excepcionalmente em uma quarta-feira – explica Sônia Zanchetta, da CRL.
Para manter a tradição de encerrar o evento em um domingo, a CRL decidiu esticar a programação até 19 de novembro.

 

Jornada Nacional de Literatura
Depois de ser cancelada em 2015, a Jornada está voltando, mas com reformulações. A organização segue lidando com o principal motivo da interrupção do evento: a falta de recursos. Embora admita que o orçamento para esta edição é ¿um pouco menor que o dos outros anos¿, Fabiane Verardi Burlamaque, coordenadora da Jornada, não divulga valores. Doze escritores devem ser convidados como atrações principais, o mesmo número de 2013 – o evento é bianual.
– Replanejamos a Jornada, sem perder a essência. Nossa responsabilidade continua sendo com a formação do público leitor – destaca Fabiane.
Esta será a primeira vez que a idealizadora do evento, Tânia Rösing, não fará parte da organização. A professora desligou-se depois de ter anunciado o cancelamento da edição de 2015 sem autorização da Universidade de Passo Fundo (UPF), que promove a Jornada em parceria com a Prefeitura. A nova coordenação pretende fazer com que a comunidade de Passo Fundo se sinta mais integrada ao evento, com atrações em diferentes pontos da cidade e até um aplicativo de celular que vai convidar visitantes e habitantes locais a percorrerem rotas criadas a partir de trechos de livros.
Para tornar a circulação mais convidativa, até mesmo a data do evento foi alterada. Tradicionalmente agendada para agosto, passará a ocorrer em outubro – entre os dias 2 e 6 –, evitando o úmido e frio inverno.

 

FestiPoa Literária
A décima edição da FestiPoa ocupará livrarias, bares e outros espaços da Capital entre 4 e 13 de maio. A grande homenageada deste ano será a professora e escritora Heloisa Buarque de Hollanda, e algumas atrações já estão confirmadas, como o paraibano Bráulio Tavares e a pernambucana Luna Vitrolira.
Com baixo orçamento – até agora, nenhum patrocínio foi assegurado para 2017 – a FestiPoa costuma driblar as crises com seu perfil agregador. Neste ano, somam-se ao projeto uma edição especial da Hipoteticon, feira de quadrinhos e artes gráficas da Galeria Hipotética, e um encontro do Estados em Poesia, série de reuniões realizadas de modo colaborativo entre poetas de diferentes regiões do país.
– Passou tão rápido uma década que parece que o trabalho ainda está se consolidando. Mas é claro que depois desse tempo dá para ter uma ideia de continuidade, e também de que muita gente legal que estava começando há 10 anos hoje já obteve reconhecimento e ganhou mais leitores, como os escritores Reginaldo Pujol Filho, Carol Bensimon, Daniel Galera, Guto Leite, Samir Machado de Machado, entre outros – avalia o idealizador do projeto, Fernando Ramos.

 

Feira do Livro de Canoas
Promovida pela Prefeitura, a Feira do Livro de Canoas passou a se destacar nos últimos anos por trazer ao Estado escritores renomados do Brasil e do Exterior. Desde 2013, com Luciano Alabarse na Secretaria de Cultura, o evento passou a receber autores como o cubano Leonardo Padura, o português Gonçalo M. Tavares, o carioca Ruy Castro e o paranaense Laurentino Gomes.
O novo secretário de Cultura, Mauri Grando, empossado em janeiro, tem o desafio de manter a qualidade das atrações. A Prefeitura firmou parceria com o Sistema S (composto por instituições como Sesi, Sesc e Senai) para viabilizar as estruturas e está em diálogo com editoras para incluir autores reconhecidos na agenda. Nenhum nome ainda foi confirmado. A 33ª edição do evento ocorrerá entre 24 de junho a 8 de julho.

Fonte: ClickRBS