Companhia das Letras assume controle da editora Zahar

Durante cerca de 30 anos, a Zahar distribuiu os livros da Companhia das Letras no Rio, enquanto a editora paulista distribuía os livros da Zahar entre as livrarias de São Paulo.

O grupo Companhia das Letras assumiu 100% do controle da editora Zahar, fundada no Rio de Janeiro em 1956 pelo editor Jorge Zahar. Juntas, as duas editoras somam mais de seis mil títulos.

A editora de livros é dirigida por Ana Cristina Zahar, filha de Jorge, Mariana Zahar, neta e vice-presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), e Ana Paula Rocha, diretora de operações. A Companhia das Letras é controlada pela Penguin Random House, com 70% de participação.

Em comunicado divulgado em seu blog, a Companhia das Letras comenta que a editora Zahar “tem sido um exemplo de sucesso editorial e de gestão empresarial, tendo respondido de maneira rápida e eficiente à crise das maiores redes de livrarias brasileiras e ao período sem vendas para programas de governo”.

No comunicado, o grupo ressalta que Jorge Zahar foi um dos mentores de Luiz Schwarcz, diretor-presidente e fundador — junto com a antropóloga e historiadora Lilia Moritz Schwarcz — da Companhia das Letras.

Durante cerca de trinta anos, a Zahar distribuiu os livros da Companhia das Letras no Rio de Janeiro, enquanto a editora paulista distribuía os livros da Zahar entre as livrarias de São Paulo. Por muito tempo, as duas editoras também dividiram o mesmo estande nas Bienais Internacionais do Livro.

O processo de integração entre as duas editoras será conduzido por um comitê, que contará, pelo lado da Companhia das Letras, com Luiz Schwarcz, o publisher Otávio Costa e o editor Ricardo Teperman. Pelo lado da Zahar, participarão as diretoras Ana Cristina Zahar, que permanecerá como consultora editorial após o processo de integração, Mariana Zahar e Ana Paula Rocha.

O Grupo Companhia das Letras publicará ao todo — entre edições regulares e especiais — 240 títulos em 2019, e a Zahar, que continuará tendo sua sede no Rio de Janeiro, trinta títulos.

Com a chegada da Zahar, o grupo Companhia das Letras passa a ter dezessete selos editoriais: Companhia das Letras, Objetiva, Zahar, Alfaguara, Suma, Paralela, Penguin-Companhia, Companhia de Bolso, Portfolio-Penguin, Fontanar, Companhia de Mesa, Quadrinhos na Companhia, Seguinte, Companhia das Letrinhas, Pequena Zahar, Claro Enigma e Boa Companhia.

Fonte: G1