Saraiva pensa em nova alternativa para recuperação

Os desafios da Saraiva e de outras livrarias está na queda das vendas e da receita de suas lojas. Atualmente, ambas investem na diversificação de produtos O mercado editorial brasileiro sofre sua pior crise. Além do surgimento da internet e a falta de adaptação das editoras e das livrarias à ela, essas companhias não souberam fazer uma gestão financeira inteligente. Agora, a Saraiva, maior rede de livrarias do país, encontra dificuldades para elaborar um plano adequado de recuperação judicial. A marca vive nesta situação desde novembro do ano passado. A dívida é de 675 milhões. Este é um cenário difícil e muito desafiador para a companhia, que agora, precisa pensar em uma boa maneira de se salvar do naufrágio que atinge o mercado. Mais de 100 editoras são credoras e, durante todos esses anos venderam seus livros em consignação. A proposta da livraria era pagar 5% da dívida em 14 […]

» Leia mais

Harry Potter: Serão lançados mais quatro livros do Mundo Bruxo

Atenção, Potterheads, é a hora de comemorar! Vocês se lembram da exposição que rolou na British Library, em Londres? Ela resultou em dois livros chamadosHarry Potter: Uma História da Magia e Harry Potter: Uma Jornada pela História da Magia. Esses livros foram base para audiobooks que contaram com entrevistas de curadores da exposição e o Pottermore divulgou o lançamento de quatro novos eBooks inspirados nesses audiobooks. UFA! De acordo a plataforma, cada eBook vai contar com leituras sobre disciplinas ensinadas em Hogwarts, folclore e origens da magia ao longo da história. Os dois primeiros livros se chamam: Harry Potter: A Journey Through Charms and Defence Against the Dark Arts e Harry Potter: A Journey Through Potions and Herbology, eles estarão disponíveis no dia 27 de junho e a pré venda já começou para quem quiser garantir o livro em inglês, francês, italiano ou alemão. Os outros dois livros são intitulados: Harry Potter: A Journey Through Divination and Astronomy e Harry Potter: A […]

» Leia mais

Projeto de redução de pena de detentos por leitura de livros será implantado em Nhamundá, no AM

Presos podem ter até 48 dias de pena reduzidos, em 12 meses, ao lerem um livro por mês e apresentarem uma resenha sobre cada obra. Detentos do município de Nhamundá, a 382 quilômetros de Manaus, podem ter diminuição de pena por leitura de obras e apresentação de uma resenha. Essa é a proposta para os presos com a implantação do projeto denominado “Remição pela Leitura”, proposto pela Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM). Os presos podem ter até 48 dias de pena reduzidos, em 12 meses. Proposto pelo defensor público Rodolfo Pinheiro Bernardo Lôbo, do Polo Zeca Pontes, em Parintins, o projeto foi institucionalizado pelo juiz da Vara Única da Comarca de Nhamundá, com o apoio do Ministério Público do Estado do Amazonas, da Delegacia de Polícia de Nhamundá e da Secretaria Municipal de Educação de Nhamundá. Pela regra principal da proposta, o preso que ler, no prazo de […]

» Leia mais

Livros em braille da ‘Turma da Mônica’ serão distribuídos para escolas municipais

Entre os personagens criados por Mauricio de Sousa que promovem inclusão e representatividade está Dorinha, menina cega que reconhece seus amigos pela voz e pelo cheiro. Ela é a protagonista do novo livro Como Dorinha Vê o Mundo, que será distribuído gratuitamente para 500 escolas municipais de São Paulo. O material foi desenvolvido por meio da parceria entre o Instituto Mauricio de Sousa e a Fundação Dorina Nowill para Cegos. Nesta sexta-feira, 3, a partir das 14h, os personagens Dorinha e Mônica estarão na instituição para apresentar a publicação e fazer a distribuição. O livro faz parte da Série Dorina e apresenta a realidade das pessoas com deficiência visual, o sistema braille e outros instrumentos que possibilitam a democratização da cultura e da brincadeira. Além de a história e os desenhos serem em braille, a história também é escrita no alfabeto português. Assim, quem tem baixa visão ou enxerga também […]

» Leia mais

Um ano rentável para as maiores editoras do mundo

As fortes vendas de audiolivros e do catálogo colocaram as grandes editoras no azul em 2018 Os lucros subiram em 2018 em relação a 2017 em quatro das cinco principais editoras que divulgam suas informações financeiras – e a única empresa em que os lucros caíram, a Lagardère Publishing, informou um aumento nos lucros em sua subsidiária norte-americana, a Hachette Book Group. As margens operacionais caíram na Lagardère e diminuíram 10 pontos percentuais na Penguin Random House, mas subiram nas outras três empresas. As sólidas vendas de catálogo e fortes vendas de audiolivros foram citadas por quatro das cinco editoras como principais geradores de receita no ano, embora as vendas de e-books tenham caído. A Bertelsmann, controladora da PRH, foi a última das principais editoras a divulgar resultados, anunciando na semana passada que a receita da PRH cresceu 1,9% em 2018 em relação a 2017 e os rendimentos aumentaram 1,3%. […]

» Leia mais

Magazine Luiza começa a operar venda de livros

Companhia lançou esta semana a categoria ‘Livros’ em seu e-commerce com um catálogo de 240 mil títulos. Magalu também quer aumentar sua presença em cidades que não têm livrarias. O Magazine Luiza, dono de uma rede impressionante de 950 lojas espalhadas por 300 municípios de 16 estados brasileiros e de 12 centros de distribuição, percebeu que só 10% das cidades brasileiras têm ponto de venda físico para a compra de livros. E resolveu investir nisso usando a sua força e capilaridade. A plataforma inicial foi lançada na última terça-feira (23) com 240 mil títulos e vai estar limitada apenas, nesse momento pelo menos, aos canais digitais (e-commerce e app) da empresa, mas com a possibilidade de retirada em loja em 48 horas, com frete grátis. “Apenas 50 milhões de brasileiros afirmaram ter comprado um livro nos últimos três meses. É um mercado em crescimento e vamos aproveitar esta oportunidade vendendo […]

» Leia mais

Na era de tecnologia, livros resistem na preferência de parte da população

Biblioteca do Centro Cultural de Mogi das Cruzes — Foto: Maiara Barbosa/G1 Apesar da praticidade e custo mais baixo dos livros digitais, os impressos ainda continuam encantando e apresentando um novo universo a quem se dedica a folhear as páginas. Apenas em Mogi das Cruzes são cerca de 900 pessoas que passam a cada mês na biblioteca em busca do empréstimo de livros. Entre eles está Vera Lúcia de Paiva Miranda, de 64 anos, tem um cadastro antigo na biblioteca. Ela conta que, no mínimo, pega três livros por mês. “Eu pego um livro e entrego um livro. Pego outro e devolvo e assim vai.” O acervo da biblioteca conta com aproximadamente 45 mil títulos, entre romances, teóricos e infantis. Os livros espíritas de Zibia Gasparetto são os preferidos de Vera, mas ela também gosta de procurar títulos que contem sobre culturas diferentes para poder “viajar através das palavras”, como ela mesmo […]

» Leia mais

Stranger Things terá livro com história de Jim Hopper

A ânsia dos fãs pela terceira temporada de Stranger Things vem sendo aplacada, em partes, com uma série de livros que estão sendo lançados nos Estados Unidos. Agora, é hora de Jim Hopper ganhar uma novelização própria, que conta uma história anterior aos eventos do primeiro ano da série. Darkness on the Edge of Town chega às prateleiras do país no dia 4 de junho e é de autoria de Adam Christopher. A trama se passa em 1977, seis anos antes da primeira aparição do Demogorgon na cidade de Hawkins. Na verdade, a cidade nem é o plano de fundo do enredo, e sim Nova York, com Jim ainda em seus primeiros anos como policial, atuando em uma investigação de homicídio e tendo seus primeiros contatos com o sobrenatural antes dos eventos que mudariam sua vida. A história é canônica, ou seja, vale para a cronologia da série como parte oficial de sua história. […]

» Leia mais

A crise não é do livro!

Editores recorrem a suas redes sociais para lançar campanhas e manifestos em favor dos livros nesse momento de crise de Cultura e Saraiva   A crise das duas maiores redes de livrarias do país acendeu uma luz de alerta em todo o mercado editorial. Como manter esse mercado vivo e o leitor interessado? Nesta quarta, Luiz Schwarcz, CEO da Companhia das Letras, escreveu uma carta aberta para pedir que editores, livreiros, autores e todos os envolvidos nesse mercado procurem soluções criativas e idealistas neste momento. “Cartas, zaps, e-mails, posts nas mídias sociais e vídeos, feitos de coração aberto, nos quais a sinceridade prevaleça, buscando apoiar os parceiros do livro, com especial atenção a seus protagonistas mais frágeis, são mais que bem-vindos: são necessários. O que precisamos agora, entre outras coisas, é de cartas de amor aos livros”, escreveu, acrescentando ainda a importância de não se esquecer das livrarias menores. “Aos que, como eu, […]

» Leia mais

Em época de crise no mercado, editoras se aproximam dos leitores

Livros e quadrinhos deixaram de chegar nas grandes lojas. E para suprir o mercado, editoras criam lojas físicas e virtuais   Vivemos o período que a palavra-chave é reinventar. O mercado editoral vive atualmente essa mutação, nunca se lançou tantos livros e quadrinhos como atualmente. A procura continua, a demanda é alta, o acabamento é cada vez mais bem feito. E mesmo com todo esse cenário montado a crise editorial é uma realidade, grandes lojas estão fechando e quem continua com as portas abertas não paga os fornecedores. E as editoras são as mais prejudicas no momento, por causa dos altos custos de produção de um quadrinho, por exemplo. Tudo funciona, mas na hora de receber o negócio trava. Para passar por esse momento ruim do mercado muitas editoras decidiram conversar diretamente com os seus próprios clientes. A Editora Mythos atualmente publica quadrinhos europeus, material da Bonelli, Hellboy, entre outros… […]

» Leia mais
1 2 3 8