Meditação para a Páscoa e Pentecostes

Não são certamente raros os que, cansados da linguagem excessivamente difusa dos livros, desejam encontrar dentro de um estilo conciso e de poucas palavras o pão de vida e o entendimento. Com o Cristo ressuscitado como exemplo de nossa regeneração espiritual, Santo Tomás de Aquino abre uma série de meditações sobre a vida nova, pela graça, pela conformação a Cristo que sobe aos céus, pelos efeitos do Espírito Santo e pela Eucaristia. Essa série termina na festa do Sacratíssimo Coração de Jesus. Santo Tomás de Aquino (1225-1274) nasceu em Roccasecca, na Sicília. De família nobre, fez seus primeiros estudos no Castelo de Monte Cassino. Em Nápoles, estudou as artes liberais, ingressando, em seguida, na Ordem dos Dominicanos, em 1244. Em Paris, foi discípulo de Santo Alberto Magno, formou-se em Teologia e lecionou durante anos na universidade local. Em 1274, convocado pelo Papa Gregório X, viajou para participar do Concílio de […]

» Leia mais

Sobre o livre-arbítrio

“De libero arbitrio” (Sobre o livre-arbítrio) é um livro em três volumes escrito por Santo Agostinho no período de 387- 395 d.C., em Roma, logo após ter sido batizado. Trata-se de uma profunda investigação filosófica a respeito da liberdade humana e da origem do mal moral que se desenvolve brilhantemente na forma de um diálogo entre Agostinho e seu irmão na fé Evódio, posteriormente sagrado bispo de Upsala, na África. Com o passar dos séculos, a obra tornou-se leitura fundamental no campo da Filosofia, não só porque explica racionalmente a origem do pecado, fundamentando-o no abuso da liberdade, mas também porque apresenta, no “Livro II”, uma prova inconteste da existência de Deus por via puramente racional. Praticamente nenhum comentador medieval ou posterior que tenha se lançado sobre essas mesmas questões prescindiu dessa investigação de Santo Agostinho. Dado que são temas atemporais, também hoje se pode afirmar com segurança que a […]

» Leia mais

O Método Pedagógico dos Jesuítas

“No desenvolvimento da educação moderna, a Ratio Studiorum ou Plano de Estudos da Companhia de Jesus desempenha um papel cuja importância não é permitido desconhecer ou desprezar. Historicamente, foi por este Código de ensino que se pautaram a organização e a atividade dos numerosos colégios que a Companhia de Jesus fundou e dirigiu durante cerca de dois séculos, em toda a terra. Ordem consagrada ao ensino pela Constituição escrita por seu próprio fundador, a Companhia, onde quer que entrasse para exercer os seus ministérios, instituía logo e multiplicava rapidamente os seus estabelecimentos de ensino. Em 1750, poucos anos antes da sua supressão (1773) por Clemente XIV, a Ordem de Inácio de Loyola dirigia 578 colégios e 150 seminários, ao todo 728 casas de ensino. Essa imensa atividade pedagógica, com a sua incoercível influência e espontânea irradiação sobre outros colégios e outros sistemas educativos que se iam formando e desenvolvendo ao seu lado, […]

» Leia mais

Música, inteligência e personalidade

“Será correto afirmar que a música modifica a personalidade ou o Q.I. (quociente intelectual) de uma criança, ou, em outras palavras, que ela possa transformar toda uma civilização? É preciso perceber que, desde há menos de duas gerações, e graças aos meios de difusão modernos, a música invade a vida cotidiana do homem, desde a mais tenra infância e em todos os níveis da sociedade. Segundo as neurociências, o pensamento de certos jovens já sofreu uma mutação por conta do desenvolvimento e da vulgarização do audiovisual: ele se desenvolve como o roteiro de um filme de televisão, plano por plano, cena por cena; ele se faz por meio de imagens como no homem primitivo, e tudo isso malgrado a escolarização obrigatória. O que ocorreu com a sensibilidade das pessoas durante essa regressão intelectual, essa substituição da civilização do escrito pela civilização da imagem e do ritmo? ara compreender e explicar […]

» Leia mais

Ser ou não ser Santo… Eis a Questão

Em 1954, foi publicada a primeira edição de um dos mais importantes – talvez o mais importante – manuais de Teologia ascética e mística: “A Teologia da Perfeição Cristã”, do Padre Antonio Royo Marín. O livro é tão relevante que, em pouco tempo, tornou-se leitura obrigatória em grande parte dos seminários pelo mundo. No prefácio, Dom Albino González Menéndez-Reigada, Bispo de Córdoba, na Espanha, entre 1946 e 1958, afirmava: “O livro que tens nas mãos, caro leitor, é um livro de Teologia; não de teologia abstrata, mas sim viva e integral, que quer se tornar o livro da tua vida. Ele te oferece um ideal, o único ideal que pode e deve ser escrito com maiúscula: a posse de Deus, Deus mesmo, que quer dar-se a si mesmo como herança eterna. Esse ideal é a santidade, que é a perfeição; Ele é a felicidade que buscas e pela qual anseias, da […]

» Leia mais

O Inferno

“Deus quer que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento pleno da verdade.” (1 TM 2,3) Louis Gaston de Ségur nasceu em Paris, na França, no dia 15 de abril de 1820. Descendente de uma família nobre, era filho do marquês Eugène de Ségur e da célebre condessa de Ségur, conhecida escritora de livros infantis. Zeloso nos estudos, logo que se formou em Direito foi enviado como adido à Embaixada Francesa em Roma, junto à Santa Sé (1842-1843). Perto dos Apóstolos Pedro e Paulo, sentiu o chamado para o sacerdócio, e, ao retornar a Paris, ingressou no seminário de São Sulpício; foi ordenado sacerdote em dezembro de 1847. Dedicou-se à evangelização de crianças, pobres e soldados prisioneiros de guerra, mas, devido a um problema na visão que o levaria à cegueira, passou a ditar livros explicando – e defendendo com fervor – a doutrina católica em linguagem popular. Até […]

» Leia mais

Politização da Bíblia

“É comum ver o método histórico- -crítico descrito como um método objetivo ou neutro. (…) Já é alguma coisa consentir que esse ideal nunca pode ser completamente obtido. Mas é importante dar o passo seguinte e notar que muitos especialistas afirmam que essa objetividade raramente foi o objetivo declarado dos críticos históricos reais. (…). Nós esperamos que nosso relato da história das raízes do criticismo histórico clarifique os compromissos filosóficos e (ainda mais importante) políticos inerentes aos fundamentos essenciais do próprio método. Essa é a tarefa deste volume. (…) Nós acreditamos que é necessária uma reflexão mais aprofundada sobre os pressupostos intelectuais e premissas filosóficas do criticismo histórico. O objetivo de Scott Hahn e Benjamin Wiker nesse estudo é demonstrar que os problemas da crítica histórica não são primordialmente exegéticos, mas filosóficos, e suas raízes intelectuais remontam ao nominalismo do final da Idade Média, quando surgiram maneiras alternativas de ler as […]

» Leia mais

O que você precisa saber sobre o aborto

A proposta deste livro é analisar o aborto sob diversos ângulos, organizando um conjunto de informações que pode ser usado como uma introdução ao tema e como um guia de consulta a respeito dos diversos pontos específicos que frequentemente se levantam nas discussões sobre o assunto. De uma forma clara e sucinta, reúne fontes de pesquisa fundamentais para se aprofundar no tema, faz a descrição cronológica dos principais fatos históricos que envolvem a temática, além da apresentação de entidades do movimento pró-vida e pró-aborto. Trata, ainda, dos cenários jurídico e legislativo em relação ao aborto no Brasil, além de uma análise e refutação dos argumentos mais comuns utilizados para se justificar a prática. Revela, também, a rede de interesses escusos na qual se associam governos, movimentos políticos- -ideológicos e grandes organizações internacionais para desenvolver, em conjunto, uma agenda política global para a legalização do aborto. Editora: Ecclesiae Saiba mais sobre […]

» Leia mais

O Homem e a Eternidade

“Queríamos falar aqui da outra vida e de sua luz para nós, considerando sobretudo a profundeza da alma, primeiramente na vida presente, e depois em relação ao juízo particular, no instante em que a alma se separa do corpo. Assim, veremos melhor o que é o inferno: um vazio imenso que não será nunca preenchido, as profundezas da alma privadas para sempre do Bem Supremo, único capaz de saciá -las. Apreenderemos melhor o que é o purgatório: o estado da alma que ainda não pode possuir Deus e está privada, por um tempo mais curto ou mais longo, de sua visão, porque, por sua culpa, não veio ao seu encontro. Enfim, estimaremos melhor o que é o instante da entrada no céu, instante que não passa: a vida eterna ou a visão beatífica, a possessão imediata e imperdível de Deus visto face a face, único que pode saciar a profundeza sem […]

» Leia mais

Lições de Abismo

“Lições de abismo” é o único romance do escritor brasileiro Gustavo Corção, considerado por muitos críticos literários como a sua obra-prima. Sobre ele, disse o poeta Menotti del Picchia: “Creio, sem temor de exagerar, ter lido o maior livro de ficção que já se escreveu no Brasil”. O romance também foi responsável pela seguinte declaração de Oswald de Andrade sobre Corção: “Depois de Machado de Assis aparece agora um mestre do romance brasileiro”. O romance conta os últimos dias de vida do professor José Maria, diagnosticado com uma doença terminal que lhe deixou com cerca de três meses para, como ele mesmo diz, preparar a própria morte. Recluso em seu quarto, na companhia de poucos livros e alguns botões de rosa, José Maria recapitula a vida e elabora sérias reflexões sobre a morte e o porvir. SOBRE O AUTOR Gustavo Corção é considerado um dos maiores escritores de toda a […]

» Leia mais
1 2 3 6