Bienal internacional do Livro reúne mais de 100 expositores em Olinda

Evento começa na sexta-feira (4) e segue até o dia 13 de outubro, no Centro de Convenções, das 10h às 22h. Estão previstas 120 horas de atividades, segundo organizadores.

Bienal Internacional do Livro será realizada no Centro de Convenções, em Olinda — Foto: Divulgação
Bienal Internacional do Livro será realizada no Centro de Convenções, em Olinda
Foto: Divulgação

A XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco tem início na sexta-feira (4), no Centro de Convenções, em Olinda, no Grande Recife. O evento, que tem como tema “Histórias para Resistir”, será realizado até domingo (13), das 10 às 22h. A programação conta com mais de 100 expositores, segundo os organizadores.

Os ingressos custam R$ 5 (meia entrada), R$ 7 (com entrega de um quilo de alimento não-perecível ou um livro usado que não seja didático) e R$ 10 (Inteira).

Considerada a maior feira literária do Nordeste, a bienal tem na programação lançamentos, oficinas e palestras. Ao todo, segundo os organizadores, são 120 horas de atividades.

O poeta Solano Trindade (in memoriam) e Sidney Rocha são os autores homenageados desta edição da feira.

Entre os convidados está o jornalista e sociólogo Muniz Sodré, que vai falar sobre a obra e o legado do poeta Solano Trindade.

A escritora Ana Maria Gonçalves, autora de “Um Defeito de Cor” (2006), participa de um bate-papo com o coletivo Leia Mulheres.

O jornalista Artur Xexéo, autor de “Hebe – A Biografia”, que conta a história da comunicadora Hebe Camargo, abordará o tema “Jornalismo Cultural e a Cultura de Celebridades”.

O jornalista Luis Nassif comentará a biografia do banqueiro “Walther Moreira Salles” de sua autoria. A cientista política Heloisa Murgel Starling vem para a Bienal PE conversar sobre seu livro “Ser republicano no Brasil colônia”, que investiga a origem da crise que os brasileiros enfrentam com o sistema político.

Também foram convidados o filósofo e pesquisador francês Grégoire Chamayou, autor do livro “A Teoria do Drone”, a escritora portuguesa Isabela Figueiredo, que vai revisitar seu livro mais importante “Caderno de memórias coloniais”, além do diretor André Vianco, que possui 16 romances já publicados, entre eles “Os Sete”.

Integram a programação, ainda, a escritora e youtuber Babi Dewet, autora do livro “K-pop-Manual de sobrevivência”. A poetisa Lubi Prates, que, este ano concorre ao Prêmio Rio de Literatura, vai conduzir o minicurso “A poesia contemporânea de autoria negra”

A Bienal é organizada pela Cia. De Eventos, com produção geral de Rogério Robalinho, curadoria de Schneider Carpeggiani, além de produção executiva da Vox Produções, Ideação.

O evento conta com apoios do Consulado da França, Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), Sebrae, Instituto Inclusivo Sons do Silêncio, Aliança Nacional Libertadora, Câmara Brasileira do Livro (CBL), União Brasileira dos Escritores (UBE), Ministério da Cidadania; Prefeitura do Recife, Rede Globo, e outras empresas privadas.

Espaços

As atividades da bienal ocorrerão em diferentes espaços. Autores de quadrinhos e ilustradores contam com a Artist Alley, onde poderão apresentar trabalhos e comercializar produtos.

O público infantil contará com a Bienalzinha. Haverá programação com oficinas, contação de histórias, pintura, lançamento de livros infantis e espetáculos voltados para a garotada.

Dois espaços foram criados para a realização de palestras, debates e cursos. No palco “Além das Letras”, serão realizadas apresentações artístico-culturais, recitais poéticos, atividades bilíngues e concurso soletrando, além de apresentações escolares, de K-Pop e de Cosplays.

A Plataforma de Lançamentos – Be Geek terá livros e quadrinhos de autores consagrados ou emergentes. O espaço também dedicará um horário para a realização de dinâmicas voltadas ao universo geek, além de desenvolver discussões literárias.

Há uma área para oficinas e outra para a programação multidisciplinar com aulas, transmissões ao vivo, minicursos e palestras voltadas para segmentos como: mundo geek, Enem e áreas técnica e científica.

Sidney Rocha é um dos homenageados da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco — Foto: Anny Stone/Divulgação
Sidney Rocha é um dos homenageados da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco
Foto: Anny Stone/Divulgação

Homenageados

Solano Trindade foi um dos pioneiros no movimento de literatura afro-brasileira e responsável por fundar pelo país diversos grupos de valorização da cultura negra e combate ao racismo. A programação prevê atividades que ressaltarão o protagonismo negro, na poesia, na música e na literatura.

Entre estas atividades estão a palestra “Escritoras negras: o poema quebrando com os silenciamentos”; o minicurso “A poesia contemporânea de autoria negra”, com a poetisa Lubi Prates; o bate-papo com Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (Cufa).

Também ocorrerão a oficina “Mulheres Negras, empreendedorismo e liderança”, com Beca Nascimento; e os lançamentos dos livros “POP UP Maracatu”, de Erick Vasconcelos; e “Ominíbú: Maternidade Negra em um Defeito de Cor”, de Fabiana Carneiro.

Sidney Rocha é conhecido como defensor do livro e da leitura no país. Para falar sobre sua obra foram convocados a escritora Maria Valéria Rezende, o jornalista Manuel da Costa Pinto, o editor Samuel Leon, os escritores José Castello, João Cezar de Castro Rocha, Xico Sá e Gonçalo M. Tavares, de Portugal.

Serviço

XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco

De sexta-feira (4) a 13 de Outubro, das 10h às 22h

Centro de Convenções de Pernambuco – Avenida Prof. Andrade Bezerra, s/n, Complexo de Salgadinho, em Olinda

Acesso/ingressos: Meia entrada: R$ 5,00 ; Ingresso Social R$ 7,00 – mediante entrega de 1kg de alimento não perecível ou um livro usado (não didático); Inteira R$10,00

É concedida gratuidade para crianças até 12 anos, estudantes da rede pública de ensino médio e fundamental com uso da camisa ou uniforme escolar, excursão escolar uniformizada em visitação agendada, professores, escritores associados da UBE, Policial Civil e Militar e Corpo de Bombeiros, portando carteira de identificação.

Fonte: G1