A AMAZON AINDA NÃO NOS MATOU OU E O LIVRO RESISTE

Salon – Por Laura Miller

Para uma indústria cuja obsolescência e morte é anunciada diariamente, o mercado do livro pareceu mais alegre semana passada, na feira BookExpo America. Dadas as recentes frustrações, o que poderia ter acalmado os ânimos dessa indústria notoriamente pessimista? Primeiramente, a velocidade de mudança diminuiu consideravelmente. Vendas de e-books nivelaram entre 20 e 25% do varejo de livros. O fechamento da Borders em 2011 assustou muitos, mas o resultado aparentemente foi um aumento das vendas das livrarias independentes. […] A Associação dos livreiros americanos (ABA), que passou anos perdendo membros nos anos 2000, tem visto agora vários anos de recuperação. […] Em relação aos e-books, não há dúvidas de que vieram para ficar, mas as previsões grandiosas do fim do livro em papel se mostraram infundadas – ou pelo menos seriamente prematuras. […] Uma tendência que recebeu muito algazarra – o ehanced e-book – foi avaliado por mais de um palestrante como um grande fracasso.

Dica do MUNDO DAS LETRAS

ehanced e-book –  Designação da suposta evolução do livro,  arquivos digitais híbridos, cheios de tric-trics,  informações, animações, interações, sons, vídeos, coisas que nunca iremos ver em  livros impressos sobre papel.